Julho 2020

Mercado reage em junho, mas 1º semestre fecha com queda de 36,13%

Governo de SP aprova projeto para suspender cobrança de IPVA em situações excepcionais

Campanha solidária
“Sua vida é o que nos move”

Banco Central quer destravar mais de R$ 255 bilhões em crédito

Assembleias gerais podem ser realizadas on-line

Novos cursos na Universidade Web FENABRAVE

Crédito tem recuperação em maio

CRLV digital já está disponível em todo o Brasil

Redução do IOF é prorrogada até outubro e MP 936 vira lei

b3_20-062_banner-fenabrave_920x145px.jpg
 
Julho 2020
home.jpg
Mercado reage em junho, mas 1º semestre fecha com queda de 36,13%

 

Emplacamentos de veículos tiveram alta de 93,5% em junho, na comparação com maio, mas recuperação não é suficiente para apagar perdas no primeiro semestre.

 

Com a reabertura das Concessionárias, em cidades importantes para o Setor da Distribuição de Veículos, como São Paulo e Rio de Janeiro, os emplacamentos de veículos, em junho, registraram um aumento de 93,5% em relação a maio, somando 194.354 unidades, contra 100.422 no mês anterior. A alta, porém, não foi suficiente para apagar as perdas no primeiro semestre de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. Enquanto no ano passado os seis primeiros meses registraram 1.918.977 unidades, o primeiro semestre deste ano encerrou com 1.225.663 veículos, queda de 36,13%.

 

“A queda já era esperada, em função do atual cenário, considerando os efeitos da pandemia do Covid-19, que obrigou o fechamento do comércio e o isolamento social, durante longo período. Mas, quando avaliamos o mês de junho, na comparação com maio deste ano, já observamos uma expressiva melhora, explicada pelo retorno das atividades dos DETRANs, principalmente, em São Paulo, que representou 32,1% das vendas nacionais, e da reabertura das Concessionárias, para vendas, na capital paulista e em outras localidades”, explica o Presidente da FENABRAVE, Alarico Assumpção Júnior.

Apesar de reconhecer que o momento ainda é de cautela, Assumpção Júnior acredita que, pouco a pouco, a população e os empresários brasileiros começam a recuperar a confiança, especialmente, em alguns segmentos, como motos e caminhões. “Responsáveis pelo transporte de itens essenciais, durante a pandemia, e com o agronegócio impulsionando o setor, os caminhões têm sido mais demandados, principalmente, os pesados e extrapesados. Os resultados só não foram melhores porque as montadoras ainda estão retomando a produção, mas em ritmo menor. Mesmo em dois turnos, em função do necessário distanciamento social, a produção não está alcançando a demanda e, com isso, as Concessionárias já têm entregas previstas para os meses de setembro e outubro”, diz.

Todos os segmentos automotivos apresentaram recuperação em junho sobre maio deste ano, embora a queda acumulada no semestre também seja geral. O segmento que teve a maior alta em junho em relação a maio foi o de automóveis, que cresceu 132%, seguido de caminhões (alta de 85,05%). No semestre, a queda também foi puxada por automóveis, segmento que perdeu 40,24%, seguido de ônibus, com retração de 36,5%.

Para Presidente da FENABRAVE, empresas e consumidores estão retomando a confiança

Tabela Vendas por segmento.JPG
Projeções 2020_divulghação 1 semestre.JP
 
Julho 2020
home.jpg
Governo de SP aprova projeto para suspender cobrança de IPVA em situações excepcionais

 

O governador de São Paulo, João Dória, sancionou, no dia 10 de julho, o Projeto de Lei 424, que autoriza o Secretário da Fazenda e Planejamento a prorrogar ou suspender os prazos de pagamento do IPVA, quando ocorrerem situações excepcionais que impossibilitem ao contribuinte o recolhimento do imposto no prazo legal. A medida é uma conquista da FENABRAVE, que vinha realizando um trabalho junto ao governo estadual para que a lei fosse implementada.

A necessidade da alteração da lei, que regula a cobrança do IPVA, surgiu com a decretação do estado de calamidade pública, decorrente da pandemia do Covid-19, e da adoção de medidas adicionais para enfrentá-la, como a suspensão dos atendimentos presenciais e atividades de natureza não essencial em todas as unidades do DETRAN-SP, o que impossibilitou o contribuinte de recolher o IPVA de veículos novos, em razão de não estar ocorrendo o emplacamento desses veículos.

“A proposta visa, justamente, permitir maior agilidade na adoção de medidas de caráter temporário e emergencial para fazer frente a situações excepcionais que poderão advir, incluindo problemas operacionais da própria Secretaria da Fazenda e Planejamento, tornando tempestiva a atuação do Estado diante de circunstâncias impeditivas do pagamento do tributo no prazo legal”, diz o texto do PL. Além de São Paulo, estados como Sergipe e Mato Grosso já regulamentaram a suspensão ou prorrogação do IPVA em situações excepcionais.

Brasao.png
 
Julho 2020
home.jpg
Campanha solidária “Sua vida é o que nos move”

A FENACODIV/FENABRAVE lançaram, no dia 3 de julho, em reunião conjunta entre SINCODIV'S/REGIONAIS e o Comitê de Crise FENABRAVE COVID-19, a campanha solidária “Sua vida é o que nos move”.

A iniciativa, que é de adesão voluntária, deverá ser conduzida pelos SINCODIV´S/REGIONAIS FENABRAVE, em cada localidade, e desenvolvida pelas Concessionárias que aderirem ao projeto, que visa atenuar o estado de pobreza das comunidades locais, em decorrência da pandemia do Coronavírus e, ao mesmo tempo, criar empatia entre as Concessionárias e opinião pública/consumidores.

As Concessionárias que aderirem à Campanha receberão kits de comunicação visual para que possam inserir seus logotipos nas peças, elaboradas por FENABRAVE/FENACODIV e enviadas aos SINCODIV'S/REGIONAIS participantes. A ação prevê a arrecadação, pelas Concessionárias, de donativos feitos pela comunidade e/ou parceiros, como alimentos não perecíveis, brinquedos, produtos de higiene pessoal e limpeza, roupas, sapatos e cobertores. Esses donativos deverão ser entregues, pelas próprias Concessionárias, às comunidades de seu entorno, podendo ser encaminhadas, também, a entidades assistenciais de sua livre escolha. Ao fazerem as entregas dos donativos, as Concessionárias deverão registrar esses eventos, seja em fotos ou vídeos, para posterior encaminhamento aos SINCODIV'S/REGIONAIS, para que reverberem essas ações junto à imprensa local, redes sociais e, também, ganhando amplitude nacional ao encaminhar os registros à FENABRAVE/FENACODIV.

Assim como acontece no programa FOCO- Fórum de Concessionárias, as Associações de Marca poderão se envolver na Campanha, atuando em parceria com os SINCODIV'S/REGIONAIS, no engajamento das Concessionárias.

SINCODIV´S/REGIONAIS aderem à Campanha

Durante a reunião, realizada no dia 3 de julho, 18 dos 20 SINCODIV'S/REGIONAIS participantes aderiram, de imediato, à Campanha Solidária, mas os demais ainda poderão aderir, se quiserem. “Vamos participar! A vida é bela e vale a pena ser preservada. Não há ninguém com tão pouco que não possa doar algo. Há muita gente sofrendo com a pandemia e devemos mostrar que o nosso setor se importa e está fazendo algo para minimizar esse sofrimento”, declarou o Presidente da FENABRAVE/FENACODIV, Alarico Assumpção Júnior, durante o encontro.

Confira quem já aderiu:

Região Centro-Oeste

SINCODIV/REGIONAL -DF

SINCODIV/REGIONAL - MS

SINCODIV/REGIONAL- MT

Região Norte

SINCODIV- AM

SINCODIV/REGIONAL - PA

Região Nordeste

SINCODIV/REGIONAL - AL

SINCODIV/REGIONAL - BA

SINCODIV/REGIONAL - CE

SINCODIV/REGIONAL - PB

SINCODIV/REGIONAL - PE

SINCODIV/REGIONAL - RN

Região Sudeste

SINCODIV/REGIONAL - ES

REGIONAL - MG

SINCODIV/REGIONAL - RJ

SINCODIV -  SP

Região Sul

SINCODIV/REGIONAL - PR

SINCODIV/REGIONAL - RS

SINCODIV/REGIONAL  - SC

Logo_Campanha_Solidária_.png
 
Julho 2020
home.jpg
Linhas de Crédito

O Banco Central anunciou medidas para destravar a liberação de crédito para micro, pequenas e médias empresas que faturem até R$ 100 milhões anuais. A iniciativa, segundo dados da Agência Brasil, pode liberar até R$ 255,5 bilhões para a economia. Apenas para capital de giro, o volume estimado é de R$ 127 bilhões. O período de contratação é de 29 de junho a 31 de dezembro deste ano. Segundo o BC, os financiamentos de capital de giro para micro, pequenas e médias empresas precisarão ter prazo mínimo de três anos e carência de seis meses. O risco de inadimplência deverá ser assumido pela instituição financeira.

O pacote ainda contempla a possibilidade de que pessoas físicas usem um imóvel como garantia em mais de um empréstimo. A medida tem o potencial de injetar R$ 60 bilhões em crédito na economia. A operação será permitida desde que o cliente esteja com parcelas em dia e que apresente folga no Valor Financeiro da Vida do Cliente (LTV, na sigla em inglês). Caso o cliente deixe de pagar uma das operações garantidas, as demais terão o vencimento antecipado.

Além das medidas anunciadas pelo Banco Central, os empresários brasileiros esperam a liberação das linhas de crédito lastreadas pelo FGI – Fundo Garantidor de Investimentos, que deverão beneficiar as Concessionárias. Estas operações ainda não estão disponíveis, mas foram garantidas, à FENABRAVE, pelo secretário da SEPEC – Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Alexandre da Costa.

Dinheiro.jpg

Apenas para capital de giro, volume deve atingir R$ 127 bilhões

 
Julho 2020
home.jpg
Assembleias gerais podem ser realizadas on-line

A Lei Federal 14.010/2020, que dispõe sobre o Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado (RJET), no período da pandemia do Coronavírus, permite que as assembleias gerais, envolvendo pessoas jurídicas de direito privado (incluindo associações, sociedades, fundações, organizações religiosas, partidos políticos e empresas individuais de responsabilidade limitada) possam ser realizadas por meios eletrônicos, até 30 de outubro de 2020, independentemente de previsão nos atos constitutivos da pessoa jurídica, inclusive, para destituir os administradores e alterar o estatuto.

A lei estabelece que a manifestação dos participantes poderá ocorrer por qualquer meio eletrônico indicado pelo administrador, desde que seja assegurada a identificação do participante e a segurança do voto, produzindo todos os efeitos legais de uma assinatura presencial. A medida também dispõe sobre as sanções da Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, que entrarão em vigor em agosto 2021.

Computador2.jpg

Reuniões podem ser realizadas de forma remota até 30 de outubro deste ano

 
Julho 2020
home.jpg
Novos cursos na Universidade Web FENABRAVE

A Universidade Web FENABRAVE tem três novos cursos em sua grade. Em “O atendimento ao cliente de peças do Agronegócio”, o consultor Wagner Kmite apresenta técnicas para o aprimoramento do pós-vendas no segmento de agronegócio, considerando os canais de atendimento mais adequados e a melhor maneira de se estabelecer um bom relacionamento profissional.

O curso “Quarta Revolução Industrial no setor automotivo”, ministrado por Rebeca Toyama, busca ampliar a compreensão dos interessados sobre o futuro do trabalho e apresenta os impactos das transformações tecnológicas nas estruturas sociais e econômicas.

Já em “Resolução de problemas complexos”, apresentado por Rogério Chelucci, serão abordadas técnicas de análise, mensuração e classificação de problemas, capacitando os interessados para o planejamento de ações estruturadas de prevenção e correção de desafios complexos.

Central de atendimento: Tel.: (11) 5582-0045

E-mail: universidade@fenabrave.org.br

www.universidadefenabrave.com.br

 
Julho 2020
home.jpg
Crédito tem recuperação em maio

De acordo com um estudo realizado pela B3, os financiamentos de veículos cresceram 23,9% em maio, na comparação com abril. Entre novos e usados, foram financiadas 268.057 unidades, contra 216.310, em abril. O CDC liderou a participação no crédito, com 86,27%, seguido do consórcio, com 12,82%.

Já a pesquisa realizada junto aos SINCODIV’S apontou que a aprovação de crédito do setor automotivo está na média de 51%, para os bancos do sistema financeiro do mercado, e em 56%, para os ligados às montadoras. Apesar da Selic mais baixa da história, segundo pesquisa da ANEFAC – Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade, o CDC médio dos bancos ainda segue caro. Segundo a entidade, em maio, a taxa, para financiamento de automóveis, era de 18,16% ao ano.

MODERFROTA

Uma medida que pode impulsionar o crédito para o segmento de tratores e máquinas agrícolas é a reabertura do protocolo para pedidos de financiamento, junto ao BNDES, do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras – MODERFROTA. O programa foi reaberto em 19 de junho deste ano, com taxa de juros prefixada

em 8,5% ao ano.

Financiamentos cresceram 23,9% em maio, na comparação com o mês anterior

 
Julho 2020
home.jpg
CRLV digital já está disponível em todo o Brasil

 

Com a adesão do estado do Pará, a versão digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) já está disponível em todo o País. “Essa é uma revolução de décadas, uma verdadeira transformação digital proposta pelo governo federal, que vai trazer muita facilidade ao cidadão brasileiro, permitindo que ele possa ter, na palma da mão, os documentos eletrônicos com o mesmo valor jurídico dos físicos. É uma medida que desburocratiza processos e reduz custos com muita agilidade e praticidade”, disse, em nota, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Segundo o último balanço divulgado, existem 4.083 certificados digitais de veículo no Brasil, que começaram a ser emitidos no fim de 2018.

CRLV Digital.jpg

Já existem 4.083 certificados digitais de veículo no Brasil, segundo o último balanço do governo

 
Julho 2020
home.jpg
Redução do IOF é prorrogada até outubro e MP 936 vira lei!

Atendendo a um pleito da FENABRAVE, o governo federal anunciou a prorrogação da redução para zero da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) pelo prazo de 90 dias. O prazo, agora, encerra em 2 de outubro deste ano. A medida facilita operações de curto prazo em um momento em que é necessária maior liquidez nos mercados. A redução beneficia tanto as pessoas físicas como as jurídicas, inclusive as optantes pelo Simples Nacional. A renúncia fiscal estimada é de R$ 7 bilhões.

 

Da mesma forma, a MP 936, que trata de assuntos trabalhistas e prevê a Suspensão de Contratos de Trabalho ou a Redução de Jornada e Salários, se transformou na Lei 14.020/20. Aprovada em 7 de julho, a lei traz algumas alterações em relação ao texto original da MP, mantendo, no entanto, sua essência e, especialmente, permitindo ao Poder Executivo que prorrogue os prazos de suspensão do Contrato de Trabalho ou de redução proporcional de jornada e salário.

 

De acordo com o Decreto 10.422/20, que regulamenta a lei, o prazo máximo agora é de 120 dias para as duas situações (suspensão de contrato ou redução salarial).  O decreto também permite o fracionamento da suspensão contratual em períodos sucessivos ou intercalados de 10 dias ou mais, respeitado o prazo total de 120 dias.

Para esclarecer os dois temas, a FENABRAVE encaminhou comunicados às Lideranças.

Calculadora.jpg

Redução do imposto foi estendida até 2 de outubro deste ano

b3_20-062_banner-fenabrave_920x145px.jpg